sábado, 24 de maio de 2014

Aventura na Floresta. Navegação com Bússola, GPS e o conforto de uma rede.

     Eu sempre tive a impressão de que andar pela floresta fechada era algo difícil, mas ao mesmo tempo achava que não teria muita dificuldades para, pelo menos, andar em uma linha reta.
     Nesta matéria gostaria de contar a minha primeira experiência nesse ambiente, onde muitas lições foram aprendidas.
     Eu e meu amigo Rodrigo Lacerda estivemos conversando sobre esta aventura já faz um bom tempo, e eu estava me preparando a alguns meses. Conseguimos então marcar em um sábado e, após alguns e-mails, combinamos o local e o horário, bem como alguns equipamentos que seriam necessários.
     Na data marcada, acordei cedo e me vesti com roupas apropriadas: Calça conversível em bermuda com tecido de secagem rápida, camiseta, Anorak, chapéu com abas largas feito em tecido de secagem rápida, botas de trilha feitas em tecido impermeável, mas respirável. Levei também a mochila com os equipamentos: rede de selva, saco de dormir, isolante térmico, bolsa de hidratação 1.8L, comida, lanternas, faca, facão, kit de higiene, kit de sobrevivência, mapa, bússola e GPS.
     A bússola que utilizamos é muito precisa e possui as melhores funcionalidades de uma bússola combinadas: precisão de 1 grau no "limbo" giratório; anel externo também graduado, que pode ser girado para compensar a declinação magnética; lente para visualizar a escala e mira para você poder identificar no horizonte algum ponto (arvore, montanha e etc.) que esteja exatamente na direção que você precisa ir, assim você não precisa ficar olhando o tempo todo para a bússola para ir na direção exata. Além disso tudo, ela possui réguas e escalas para marcação de mapas e pesa apenas 50g. Link: Bússola Quechua 500



     Assim que chegamos, fomos encher o cantil com água para a caminhada. Caminhamos um pouco por uma trilha, mas logo resolvemos sair da trilha e praticar um pouco de navegação com bússola e mapa. Preciso confessar que logo de cara descobri que caminhar entre as árvores fora da trilha é muito difícil, pois há muitos galhos e vegetação fechada.



     O que mais me surpreendeu foi a questão de direção dentro da mata fechada: sem a bússola é quase certo que você vai andar em círculos. Eu me considero uma pessoa com um bom senso de direção, mas ao contornar uma árvore a percepção que eu tinha de em qual direção estávamos indo, em comparação com a direção real indicada pela bússola, estava bem equivocada: eu estava errado em até 30 graus. Isto significa que a falta de visão do céu, bem como a densidade de árvores, compromete muito a percepção de direção.

     Minha recomendação após esta experiência é: NUNCA saia em uma trilha sem mapa e bússola.


     Havia também vida "selvagem", como o pequeno esquilo desta foto.

     Após a experiência de caminhar pela trilha usando o mapa e bússola, contando passos e marcando com detalhes cada mudança de direção no mapa, utilizamos também a alta tecnologia disponível atualmente.

     Meu celular possui instalado o aplicativo "Trimble Outdoors Navigator", disponível para Android e iPhone. A Trimble é uma das maiores fabricantes de GPSs de alta precisão para geólogos e aventureiros. Link: Trimble Outdoors NavigatorEste aplicativo é muito útil e permite que você faça o download dos mapas topográficos, com o nível de zoom desejado, da área que pretende explorar para poder caminhar tranquilo, mesmo se a área NÃO tiver cobertura de celular. Note que não estamos falando dos mapas de ruas do Google, que não servem para nada dentro do mato: são mapas topográficos, com as curvas de nível do terreno, e até as trilhas que fizemos estavam marcadas no mapa. Achei que não haveria este nível de detalhe nos mapas aqui do Brasil, mas fiquei muito surpreso. Na versão gratuita já é possível fazer uma boa aventura. Com a versão paga, é possível configurar uma quantidade muito maior de memória para armazenamento de mapas entre outras vantagens.
     O video acima está em inglês, mas é um pequeno indicativo das facilidades do aplicativo.

     Na hora do almoço não poderíamos deixar de esticar as nossas redes para descansar. Fizemos um sanduíche de mortadela bem caprichado e também um suco. Depois de horas de caminhada e muita subida, almoçamos a cerca de 1000 metros de altitude.




      A rede que que utilizei é da empresa canadense Hennessy Hammock, e já inclui a tela mosquiteira acoplada na rede. Não há riscos de insetos como mosquitos, aranhas, escorpiões e outros te atacarem se você estiver lá dentro. Na foto abaixo estou deitado fora da rede, por cima da tela. Nesta configuração a rede pode ser utilizada como cadeira para facilitar o preparo de alimentos ou mesmo para um bate papo.




    A rede possui elásticos que ajudam a abrir a largura, facilitando a entrada, bem como garantindo um grande espaço interno, quase como uma barraca nas alturas. A entrada é por uma abertura na parte de baixo, que possui fecho com "Velcro".




     Possui também uma "Tarp" para proteção contra chuva (não mostrada nas fotos), que já vem acoplada na própria rede, não sendo necessário pontos de amarração adicionais nas árvores.




     O video acima mostra o próprio Tom Hennessy demonstrando sua invenção. Apesar de estar falando em inglês, é fácil ver como é a rede completa. Note como é fácil e rápido para se entrar e sair da rede.
   

     Foi uma aventura muito legal, com uma ótima vista da cidade de São Paulo lá de cima.

    Agradeço ao Rodrigo Lacerda pela paciência comigo, principalmente nas subidas longas, já que não estou tão em forma física como ele e precisamos caminhar devagar.



     Obrigado à todos pela visita.


     Walgran.