domingo, 4 de agosto de 2013

Início

Me chamo Walgran Apolônio e tenho alguma experiência com acampamentos, um tanto quanto enferrujada, desde que comecei no escotismo, ainda com 11 anos de idade em Campinas SP. Hoje tenho 44 anos e sou casado com a Kitty já fazem 18 anos. Tenho dois filhos adolescentes, a Giulia (15)  e o Leo (12).

Criei este blog com o objetivo de compartilhar minhas experiências e os recursos tecnológicos que facilitam a nossa vida na natureza.


A cerca de um ano comecei a sentir uma grande vontade de ter novamente um contato com a natureza, acho que causada pela recente mudança para São Paulo. Acredito que a "selva de pedra" consegue causar este sentimento em qualquer um que tenha que conviver com as condições de uma metrópole, onde o Parque do Ibirapuera é considerado um oásis.


Com este sentimento, conversei com minha família sobre investirmos algum tempo nisso. Foi então que descobri que tinha algo faltando na minha vida. Minha paixão pelo assunto foi imediata e comecei a ler vários blogs sobre o assunto, notadamente: "O Campista", "Camping & Família", "Tocandira" e outros.


Claro que para poder me considerar campista novamente, eu precisava de alguns equipamentos que não tinha. Marcamos para ir num sábado até a Decathlon na Marginal Pinheiros. Ironicamente morei muitos anos bem próximo ao Decathlon de Campinas, e só agora descobri o que tem de legal lá. Como iniciante, começamos a procurar entre as barracas disponíveis na loja uma que nos atendesse. Ficamos com a Quechua "4.1 XXL IIII". Levamos também um Gazebo "Fiesta" e algumas lanternas.

Numa segunda visita a Decathlon compramos 4 sacos de dormir "Sleep'in Bed 15" que já possuem integrado um colchão / isolante auto-inflável (que não se infla tão sozinho assim). Pra completar compramos uma mesa que se dobra ao meio com 4 banquetas dentro. Em uma outra loja compramos um fogareiro Nautika "Ceramic Duo", muito eficiente por sinal.
Para não assustar minha família e evitar que não desejassem mais acampar, escolhi um camping bem estruturado, o "Chapéu de Sol" em Itú. Fomos previamente conhecer o local e gostamos muito. No dia marcado, colocamos todas as tralhas no carro e descobrimos que a barraca é um tanto quanto complicada para se colocar no porta malas, mesmo considerando que meu carro é grande. A barraca é um grande disco de mais de 90 cm de diâmetro. Chegamos por volta da hora do almoço e já começamos a montar o circo. Escolhemos um lugar tranquilo, montamos a barraca de frente para o gazebo, esticamos uma lona no chão sob o gazebo, montamos a mesa e sentamos para curtir. Pronto! Agora somos campistas. Fomos curtir o camping e no fim da tarde, com um ventinho frio, curtimos a piscina aquecida.

Voltamos para barraca e então fomos tomar banho. Os banheiros eram bem limpos e com cabines individuais. Depois estreamos o fogareiro: "Miojo". Que delícia!!! Foi então que um grupo com dois casais e 4 crianças chegou fazendo muito barulho, já de noite, para montar as barracas. Gritavam sem parar e demonstraram um absoluto desrespeito por todos que já estavam começando a se recolher. Ficaram brigando até para decidir onde colocar a bandeira de um clube de futebol que acredito não precisar mencionar. A barulheira foi até cerca de 1 da manhã. Fiquei muito chateado que isso tenha acontecido no meu primeiro acampamento com minha família, mas o dia seguinte foi muito bom e superou a noite constrangedora. Fui pescar com meu filho e até que com a minha absoluta falta de experiência conseguimos algum sucesso, 5 peixinhos que voltaram para a água. O Leo adorou a piscina e foi 30 vezes no toboágua.




Curtimos o feriado e retornamos para São Paulo, já planejando o próximo acampamento.


Esse foi nosso primeiro acampamento estruturado, e com certeza o primeiro de muitos.

Nos próximos posts falarei sobre os equipamentos que adquiri e mais acampamentos, bem como relatarei a performance de meus equipamentos.

Obrigado por terem passado por aqui.

Walgran e família.